(29)

tumblr_m0hn8s7Mpr1qc39i3o1_1280

Não sei se consigo mais. A cada inspiração o ar desvia do pulmão e me enche só de vazio. Parece que meu coração bombeia chumbo. Nas minhas costas, pedras em forma de mágoas. Ressentimentos. Apenas ressinto, não sei se consigo mais sentir algo que não o batimento semi-incompleto que distribui dor do topo da minha cabeça às pontas dos dedos que ora me parecem baobás, ora me parecem gravetos. Sinto o peso enraizar-se nas costas: ele se planta por cima dos ombros e desce vagarosamente, entranhando-se nas fibras dos músculos e no vazio dos ossos. Mal consigo articular. Na minha boca, o sangue; na minha mente, o medo. Não vejo o que estou vendo, mas o que projeto. Sozinho, sem irmandade com as coisas. Me vejo à deriva de mim e de tudo, e só o mar. Ai quem me dera abandonar a metafísica. Poderia abraçar-me ao nada. Se sou nada mais do que eu era, qual o sentido? Se me encho só de incompletude, quando vou transbordar? Se ao meu redor cresce o vazio, como vou tocar?

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s